Este portal não manipula bolinho de perfis, mas usa a autenticação de cookie para técnico, de navegação e outras funções. Navegação, você aceita receber cookies no seu dispositivo. Ver as informações de todo
Italian Inglês French Portuguese espanhol

15 - O VALOR SOCIAL E CULTURAL DA DIETA MEDITERRÂNEA: O CONVÍVIO

  • Autor: PROF. MARINO NIOLA

Um dos valores fundamentais da Dieta Mediterrânea, que também enquanto tal foi considerada pela UNESCO Patrimônio da Humanidade, é o convívio, ou seja, a partilha da comida, que é aquilo que faziam os antigos: os gregos quando se reuniam no banquete. Não por acaso Platão escreve uma obra famosíssima, uma das obras primas do pensamento ocidental que se chama “O banquete”, a partilha, o beber juntos o vinho. Plutarco, outro grandíssimo pensador grego, dizia que “os homens não se sentam à mesa para comer, mas para comerem juntos”: essa frase que nos vem repetida muitas vezes tem ainda mais sentido hoje, porque a nossa alimentação está cada vez mais longe desses modelos. Nós comemos muitas vezes sozinhos, correndo, tantas vezes de frente para uma parede sem comunicar com ninguém: nesse caso o alimento que comemos pode ser o mais saudável do mundo, mas não nos fará muito bem, justamente porque falta o elemento fundamental da troca, da partilha, da doação porque a comida é também um dom, da hospitalidade, um antigo valor do Mediterrâneo.
Em todo o mundo grego e também no mundo latino, havia o culto da hospitalidade, porque no hóspede existia um Deus oculto. Em muitos mitos vem narrado justamente isso: Zeus ou outros Deuses que se apresentam aos homens sob forma de hóspede ou de mendicante e muitas vezes quem os manda embora é castigado, enquanto quem os acolhe fraternalmente vem premiado. Desse ponto de vista, a hospitalidade é um valor fundamental da Dieta Mediterrânea, do modo de viver mediterrâneo, ainda hoje estreitamente ligado ao convívio. E é um valor também religioso, um valor evangélico: não por acaso muitas vezes nos Evangelhos Cristo diz “eu sou um estrangeiro, vim de longe e vocês me acolheram”, enquanto em outras passagens ele se define “o fermento da vida” ou “o sal da vida”. São todos elementos que se adicionam à comida, que vêm de longe e deste ponto de vista a dupla convívio-hospitalidade é uma espécie de algoritmo virtuoso da Dieta Mediterrânea que a UNESCO identificou e valorizou. Agora resta a nós traduzir esses valores que a UNESCO considerou Patrimônio fazendo dos mesmos paradigmas, transformando-os em uma regra da nossa vida cotidiana e modificar e corrigir onde possível as relações que temos com nós mesmos e com os outros. Somente se conseguirmos fazer da Dieta Mediterrânea um modo de viver e de compartilhar, de viver e conviver, então a mensagem da UNESCO terá alcançado o seu objetivo.
Isso provavelmente constitui, além de um grande desafio, uma das mais realísticas chances oferecidas à humanidade para sair do impasse atual e conseguir efetivamente nutrir o planeta no futuro em maneira sustentável, limpa, sã e correta. Para concluir, se quisermos resumir em uma frase o sentido da Dieta Mediterrânea, da partilha, devemos sintetizá-la assim, com o título de um famoso espetáculo teatral e depois televisivo: “Aggiungi un posto a tavola”(adicione um lugar à mesa). A regra áurea da Dieta Mediterrânea è: lembre-se sempre de adicionar um lugar à mesa.


Meddiet - O portal da dieta mediterrânea é um projeto da Università degli Studi di Roma Unitelma Sapienza. Projeto realizado com a contribuição do Ministero delle politiche agricole alimentari e forestali - Decreto Ministerial n. 93824 de 30 dezembro de 2014.

Viale Regina Elena, 295 - 00161 Roma
Tel. 06-81100288 Fax 06-6792048
PI 08134851008
Privacy Policy