Este portal não manipula bolinho de perfis, mas usa a autenticação de cookie para técnico, de navegação e outras funções. Navegação, você aceita receber cookies no seu dispositivo. Ver as informações de todo
Italian Inglês French Portuguese espanhol

As Comunidades emblemáticas

A Dieta Mediterrânea, mesmo sendo um elemento alimentar, cultural e social largamente compartilhado e praticado por povos de diversos Estados com vista para o Mar Mediterrâneo, assume um particular valor de identidade em algumas comunidades, definidas “emblemáticas”. Comunidades emblemáticas, assim como descritas no dossiê de candidatura UNESCO da Dieta Mediterrânea, são grupos sociais territorialmente definidos representantes dos valores universais declarados Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade e particularmente responsáveis perla salvaguarda e valorização do elemento. As comunidades emblemáticas são aquelas comunidades que por razões históricas, científicas ou qualitativas assumem uma particular importância no conjunto das comunidades nacionais dos sete Estados Parte (Itália, Espanha, Grécia, Marrocos, Portugal, Croácia e Chipre), e que baseiam parte significativa da sua identidade e da sua continuidade nesta experiência coletiva e ancestral que é a Dieta Mediterrânea, fruto de trocas, experiências e tradições simbólicas perpetuadas de geração em geração, mistura cultural e social e rica gama de tons regionais.

A UNESCO, reconhecendo a Dieta Mediterrânea como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, reconheceu sete comunidades emblemáticas onde “a Dieta Mediterrânea ainda vive, transmitida, protegida e celebrada e reconhecida como parte do patrimônio cultural imaterial partilhado”. A lista das comunidades emblemáticas foi formalizada com a Carta de Chefchoauen, com a qual sete comunidades mediterrâneas se empenharam para o futuro a salvaguardar e valorizar o elemento que as caracteriza e as une em uma única coletividade. No caso da Itália foi indicada a comunidade de Pollica e Cilento, lugares onde por muitos anos viveu o fisiólogo americano Ancel Benjamin Keys, para estudar, elaborar e demonstrar as hipóteses de seu estudo sore epidemiologia das doenças cardiovasculares, que o conduziram a formular as hipóteses sobre a influência dos estilos de vida sobre tais patologias e sobre os benefícios trazidos com a adoção da Dieta Mediterrânea.

Além de Pollica no Parque Nacional de Cilento, Vale de Diano e Montes Alburni, a UNESCO reconheceu como comunidades emblemáticas Koroni na Grécia, Sória na Espanha e Chefchaouen em Marrocos, as quais se uniram em 2013 o vilarejo de Agros em Chipre, o município de Tavira em Portugal e as ilhas de Brač e Hvar na Croácia.

Desde a inclusão da Dieta Mediterrânica na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da UNESCO, as comunidades emblemáticas estabeleceram uma estreita cooperação para garantir a salvaguarda do elemento através de uma série de reuniões. A primeira foi realizada em março de 13 2010 em Chefchaouen, Marrocos, no espaço de tempo de espera entre a entrega oficial do dossier de Paris e da avaliação do mesmo pelo Órgão Subsidiário.

Em fevereiro de 2011 na Itália, no território de Cilento, foi feito o segundo encontro entre as comunidades emblemáticas durante o qual se discutiu todas as estratégias, as ações e as atividades para fazer com que a Dieta Mediterrânea venha salvaguardada, promovida e tutelada nos países do Mediterrâneo e não só, com enorme benefício, também econômico, para as produções típicas dos territórios. Além disso, as comunidades individuaram o ‘Centro Studi per la Dieta Mediterranea di Pollica’ como lugar de pesquisa e hospitalidade.

O terceiro vértice internacional das quatro comunidades emblemáticas da Dieta Mediterrânea aconteceu em Koroni, na Grécia, em junho de 2011, ao qual se seguiu um quarto, sempre em Koroni, em agosto de 2012. É de abril de 2015, enfim, a decisão de formalizar a constituição de um Grupo Europeu de Cooperação Territorial (Gect), que reúne as comunidades emblemáticas em uma única estrutura para a projetação de futuras ações e estratégias de valorização da Dieta Mediterrânea.

Brac e Hvar (Croácia)

Brač e Hvar são ilhas da Dalmácia central.

Chefchaouen (Marrocos)

Capital da província homônima.

Cilento (Itália)

Sub-região montanhosa da Campania

Koroni (Grécia)

Cidade no sul da Grécia.

Sória (Espanha)

Capital no nordeste da Espanha.

Tavira (Portugal)

Ao sul de Portugal continental

Meddiet - O portal da dieta mediterrânea é um projeto da Università degli Studi di Roma Unitelma Sapienza. Projeto realizado com a contribuição do Ministero delle politiche agricole alimentari e forestali - Decreto Ministerial n. 93824 de 30 dezembro de 2014.

Viale Regina Elena, 295 - 00161 Roma
Tel. 06-81100288 Fax 06-6792048
PI 08134851008